VISUALIZAÇÕES DE PÁGINA

Correio Do Autor

assuncaopontopaulinhoarrobagmailpontocom

segunda-feira

[EU DIGO: É POEMA]

[é lua, mas pode ser hibisco. argola
ou sabre, abelha ou vento, o relógio
e a enseada, a pena de um pássaro
sem nome, um deserto e um lápis,
a soma do menos com o menos,
a subtração do mais no mais, a rua,
vou pela rua e atravesso a porção
da sombra, eis o poema, a dúvida,
eis o poema, a flora, a floração
do hibisco dentro da lua, o olho
do urso dentro da argola, o sabre
que retine a metálica consoante,
vou pela rua e atravesso a porção
de sombra, o cavalo, agora o cavalo
sobe as escadas do templo, esvoaça
as crinas, há sangue, vou pela rua,
sozinho e em soledade andarilho,
dois punhos ao tempo, duas centelhas
nos olhos. eu digo: é poema. eu digo:
é a dúvida. eu digo: o poema flora
em círculos e espirais da circunferência.]

Nenhum comentário:

Postar um comentário