VISUALIZAÇÕES DE PÁGINA

Correio Do Autor

assuncaopontopaulinhoarrobagmailpontocom

domingo

[ENQUANTO VOCÊ DORMIA]

[rimbaud ainda tardaria muitas luas 
para chegar à gare. enquanto isto, 
buscávamos farelo de arroz 
para dar aos pombos. meu pai
atirava em círculos a lápis na parede.
minha mãe conversava com deus.
fidel. fidel. fidel. assim ensinávamos
aos meninos mais novos. aquela
brisa guerrilheira, o grupo dos onze
de brizola, o relojoeiro comunista.
e então rimbaud chegou. trouxe
os tições acesos para dobrarmos
a espinha da poesia: torta, pendente,
de banda, sempre para o lado esquerdo.]

Nenhum comentário:

Postar um comentário